sexta-feira, 23 de agosto de 2013

O ego não deve entrar na luta



MUGA = Ausência do Eu



"Não basta cruzar espadas somente com o intuito de acertar e vencer o oponente. Quando se fala em não colocar o ego, significa que as nossas mesquinharias não devem fazer parte do confronto. Quem está me vendo lutar? Será que estou encenando bem? E se eu perder? E se eu ganhar? – são perguntas que não cabem no espaço entre duas espadas. Enquanto executamos todas as nossas ações em proveito próprio, elas não são sinceras. Logo entrará o ego, e isso culminará em escolher o caminho mais cômodo, mais fácil. A luta se tornará parcial, e as chances de vencer o combate e ganhar a vida ficarão limitadas." - Trecho extraído do livro: Shin Hagakure de Jorge Kishikawa

 Durante os treinos envolvendo o combate, ter isso em mente faz muita diferença. Perceba que conceitos desportivos atrapalharão o desenvolvimento da sinceridade da luta, inclusive a sua luta do dia-a-dia.
Como evoluir nesse sentido? 
Só conhecemos uma maneira. Vista o seu Karate-Gi e treine.

Oss!






sexta-feira, 16 de agosto de 2013

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Código de Conduta

Bom dia! 
Foi publicado recentemente pela Escola de Karate-Do do Brasil o seu Código de Conduta, brilhantemente compilado pelo Sensei Ennio Vezzuli.

Seguem as palavras do Sensei sobre a elaboração:

"Bom Dia Srs. Karate-Kas e Instrutores!

Abaixo segue o "link" para o "Código de Conduta da Escola de Karate-Do do Brasil":


A ideia surgiu durante o "1o. Curso de Formação de Instrutores Nível 1" quando se verificou que, embora houvesse farto material sobre a Conduta e o Caminho do Karate-Ka, não havia uma compilação em um único documento para referência e consulta.

Concluiu-se que existência de um Código de Conduta, por escrito, claro e detalhado, fornecido para cada praticante seria de suma importância, pois, com ciência das virtudes a alcançar, do comportamento esperado e compreensão dos “porquês”, prevenir-se-ia condutas inadequadas por diferenças de costumes, hábitos e falta de informação, o que muito facilitaria a caminhada em direção aos objetivos do Karate-Do.

A compilação deste código se baseou no “Bushi-Do”, o Código de Conduta dos Samurais, que influenciou sobremaneira as chamadas “Artes Marciais Japonesas” atuais e em princípios, valores e nas melhores práticas universalmente aceitas.

Não é algo novo, não tem a pretensão de ser o único ou ditar regras, muito menos de reclamar uma autoria. É simplesmente uma compilação de condutas, práticas recomendadas e virtudes a alcançar. É adotado pela "Escola de Karate-Do do Brasil" e tem a intensão de ajudar. Use-o a vontade: adote, modifique, adapte da forma que bem entender em prol do Karate-Do e de seus praticantes.

Oss.

Ennio Vezzuli"


sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Keiko Kan Karate-Do Sorocaba particpa do Progarama de Aprendizado e Treinamento Contínuo da Escola de Karate-Do Brasil

O início de nossa Escola se deu principalmente por conta do surgimento da Escola de Karate-Do Brasil, com a uma proposta séria idealizada pelo Sensei Ennio Vezzuli de promover o verdadeiro Karate-Do, possuindo como norte a seguinte missão:
"A Escola assume para si, na pessoa de seus integrantes, a missão de: Preservar, Estudar, Treinar, Desenvolver, Ensinar o Karate-Do e estender os benefícios de sua prática à maior quantidade e variedade possível de público."
Nesse sentido, além dos treinamentos do Curso de Formação de Instrutores, dos quais participam os Senpais Mauro Tanaka e Marcelo Tozzi, marcamos a presença de nossa associação em todos os eventos que a Escola de Karate-Do promove. E não poderia ser diferente neste segundo treino/aula do Programa de Aprendizado e Treinamento Contínuo da Escola de Karate-Do Brasil, cujo o tema foi: Unsoku Fundamental: O Diferencial do Karate Efetivo - 2a parte.
Tivemos neste evento a participação dos instrutores formados na primeira turma do Curso de Formação de Instrutores e de companheiros do caminho de diversas associações e estilos de Karate-Do, mostrando mais uma vez que proposta da escola prima pelo desenvolvimento pleno do Karate-Do, não se prendendo a siglas e outras divisões políticas que não agregam muito ao desenvolvimento da arte.