segunda-feira, 15 de abril de 2013

A polêmica reverência (rei) nos treinos das artes marciais

Olá pessoal!

Como um dos objetivos do nosso grupo, além da prática do Karatê-Dô, voltada aos princípios da arte marcial, é o de manter também a teoria e os estudos em dia (Bun Bu Ryu Dô), vou aproveitar o espaço e colocar o primeiro aspecto da prática, que pode vir em algum futuro gerar certo desconforto por este ou aquele praticante: a saudação ou "rei".
Para deixar esclarecido para os membros de nossa associação, coloco aqui um trecho do livro: Faixa Preta - Karatê, do Sensei Hirokazu Kanazawa:

“O Primeiro dos vinte preceitos do Karatê do mestre Gichin Funakoshi, que diz: ‘Não se esqueça de que o Karatê começa com o rei e termina com o rei.’ Embora o rei do estilo tradicional japonês de se sentar com as pernas dobradas embaixo, seja uma forma de mostrar gratidão e respeito, algumas pessoas podem achar inaceitável ter de abaixar a cabeça dessa forma devido às suas crenças religiosas. Gostaria de salientar, contudo, que o Karatê é uma parte da cultura japonesa, e é importante aceita-la como tal. Ter um dojô nos permite treinar Karatê, assim como a presença de parceiros de treinamento. Devemos ser gratos por isso. E, para demonstrarmos essa apreciação, nos ajoelhamos e abaixamos nossas cabeças no início e no final do treinamento.”
 

Espero que com isto esclarecido, iniciemos nosso treino.

Shomen ni rei
Sensei ni rei
Otagai ni rei

Oss!

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário